Como cuidar do parente idoso que mora sozinho?




Cuidar de um parente idoso que mora sozinho pode ser uma responsabilidade desafiadora, mas também gratificante.


No entanto, garantir o bem-estar e a segurança dele requer atenção e cuidado contínuos, desde estabelecer uma comunicação regular até organizar serviços de assistência domiciliar e realizar adaptações no lar para garantir segurança e acessibilidade que ele precisa.

Estabelecer uma comunicação regular e eficaz

Os idosos precisam de atenção especial e constante, especialmente considerando que, de acordo com dados do IBGE, 13,2% dos idosos com mais de 60 anos apresentam sintomas de depressão. 


Nesse contexto, uma comunicação regular e eficaz desempenha um papel essencial no apoio emocional e no monitoramento da saúde mental dos idosos que vivem sozinhos.


Dessa maneira, manter o contato constante não apenas proporciona uma sensação de conexão e apoio, mas também pode ser uma ferramenta vital para identificar quaisquer preocupações ou necessidades que possam surgir. 


Quando os idosos se sentem isolados ou negligenciados, isso pode aumentar os riscos de problemas de saúde mental como depressão e ansiedade. Portanto, manter uma comunicação ativa e regular pode ajudar a reduzir esses riscos e promover um maior bem-estar emocional.

Ferramentas e estratégias para manter contato constante

Com os avanços da tecnologia, manter contato constante com um parente idoso que mora sozinho nunca foi tão fácil.


Existem diversas ferramentas e estratégias que podem ser implementadas para garantir que a comunicação seja eficaz e contínua, proporcionando segurança e conforto, tanto para o idoso quanto para seus familiares.


Uma das maneiras mais simples e eficazes de manter contato com eles é por meio das ligações. Hoje em dia, com os aplicativos de mensagens instantâneas, é possível fazer ligações, vídeo chamadas e enviar mensagens de texto, facilitando a interação.


Além disso, o idoso pode usar as redes sociais para interagir com amigos e familiares que moram longe, fazendo com que os sentimentos de solidão sejam reduzidos.


Implementar essas ferramentas e estratégias de comunicação pode fazer uma grande diferença na vida de um idoso que mora sozinho.

Uso de tecnologia para monitoramento e segurança

A tecnologia tem avançado rapidamente e oferece inúmeras soluções para monitorar e garantir a segurança de idosos que moram sozinhos, já que 70% das quedas acontecem em casa.


É por causa disso que muitas famílias têm optado pelas soluções de teleassistência, principalmente os botões de emergência que, embora não consigam impedir que uma queda ou desmaio aconteça, oferecem uma solução eficaz para o idoso pedir ajuda nessa situação.


Dessa maneira, com essas soluções de teleassistência, os idosos podem morar sozinhos por mais tempo e, principalmente, com segurança e tranquilidade.

Botão de emergência: dispositivo que ajuda a manter o idoso seguro

A TeleHelp é uma empresa de teleassistência que vem se destacando muito nos últimos 17 anos, isso porque ela foi pioneira neste serviço no Brasil e, ao longo da sua jornada, desenvolveu botões de emergência específicos para usar dentro e fora de casa.


Para situações que ocorrem em casa, os idosos podem utilizar o botão de emergência específico para esse ambiente, disponível em formato de colar ou pulseira. Esse botão é hipoalergênico, discreto e à prova d’água, permitindo seu uso até mesmo durante o banho, onde a maioria dos acidentes acontece.


Dessa forma, em caso de queda, o idoso não precisa entrar em pânico, pois basta pressionar o botão para solicitar ajuda. Em até 60 segundos, um profissional da TeleHelp entra em contato para avaliar a situação e notificar os familiares responsáveis.


Para idosos com histórico de desmaios ou que utilizam medicamentos que causam tontura ou vertigem, como antidepressivos e ansiolíticos, é recomendado investir em um modelo de botão de emergência integrado com sensor de desmaio. Este sensor pode detectar quedas abruptas e notificar automaticamente a central de atendimento.


Por fim, para idosos mais ativos, que praticam atividades ao ar livre, a TeleHelp oferece um botão de emergência específico para uso fora de casa, que é integrado com sensor de desmaio, GPS e viva-voz, ferramentas essenciais para garantir um atendimento rápido e eficaz.

Organizar serviços de entrega e assistência domiciliar

Cuidar de um parente idoso que mora sozinho exige planejamento e dedicação. Organizar serviços de entrega e assistência domiciliar pode fazer uma grande diferença na qualidade de vida dele. 


Um desses serviços é a entrega de refeições, que pode ser uma excelente solução para garantir que ele receba alimentação balanceada e nutritiva diariamente. Existem diversos serviços que oferecem refeições prontas adaptadas às necessidades dietéticas específicas dos idosos, como refeições com baixo teor de sódio, dietas para diabéticos e opções ricas em proteínas. 


Além das refeições, os medicamentos também podem ser entregues. Muitas farmácias fazem entregas programadas e lembretes de renovação de receitas, o que pode ser extremamente útil para os idosos, principalmente para aqueles que possuem alguma dificuldade cognitiva.


Portanto, organizar esses serviços de entrega domiciliar não só proporciona conforto e segurança ao idoso, mas também oferece tranquilidade aos familiares, sabendo que ele está sendo bem cuidado à distância. 

Adaptações no lar para maior segurança e acessibilidade

Por último, é preciso lembrar que o lar do idoso precisa ser um local seguro!


Não tem jeito, nem tudo que é bonito ou que combina com a decoração é adequado para estar na casa do idoso, incluindo principalmente os tapetes escorregadios e móveis com quinas muito pontudas e afiadas.


Esses itens podem até ser esteticamente bonitos, mas oferecem grandes riscos de acidentes e, por isso, devem ser removidos.


Outro ponto importante, é que a casa precisa ser funcional, ou seja, a altura dos armários e prateleiras precisam ser pensadas no idoso, evitando que ele suba em escadas ou em banquinhos para alcançar os objetos e louças.


É preciso avaliar a necessidade de melhorar a iluminação das áreas de maior risco, como escadas e corredores, e instalar barras de proteção e apoio nesses ambientes para trazer mais estabilidade e segurança para os idosos.


Portanto, adaptar o lar para torná-lo mais seguro e acessível envolve uma combinação de pequenas mudanças e inovações tecnológicas, que não só promovem a independência do idoso, mas também oferecem tranquilidade aos familiares.



Postagem Anterior Próxima Postagem

Formulário de contato